• Mazal News

Volunteer records more than 15,000 hours in the maternity special care unit

Gwen Grant is an expert cuddler. She's spent each week of the past 25 years perfecting her hugs as a volunteer "cuddle mum" at Brisbane's Mater Hospital.


The generous Brisbane grandmother has recorded more than 15,000 hours in the hospital's special care unit helping parents take a break from caring for their little ones. "It doesn't feel like 25 years at all," Ms Grant said.


Gwen Grant cares for babies in the special care unit at the Mater Brisbane.(Supplied: Mater Brisbane)

She said allowing parents to have a short break from their room or head to an appointment was critically important. "It's giving the baby attention when the mum isn't there."


Husband and wife volunteers


Ms Grant's husband Errol also volunteers at the Mater and ferries her to her many shifts each week. "He's a gem and he keeps coming back so he must love it [volunteering] as much as I do," Ms Grant said.


Mater volunteer senior manager Judy Johnson said volunteers such as Ms Grant brought their own life experiences and personalities to care for others within the hospital.


"We are so grateful for her time and empathy, and so are our littlest of patients."


More cuddles to give


Ms Grant hopes to keep volunteering for years to come if her health allows her. She recently asked what the cut-off age was for volunteers at the Mater.


Ms Grant holds a newborn in the special care unit in 1994.(Supplied: Mater Mothers Brisbane)

"I think it's 90 so I've got a little while to go and if I'm healthy and mobile I'll keep carrying on for as long as I possibly can," Ms Grant said.

 

Voluntária registra mais de 15.000 horas na unidade de cuidados especiais de maternidade


Gwen Grant é uma especialista em abraços. Ela passou os últimos 25 anos aperfeiçoando seus abraços como uma “mãe de abraço” voluntária no Hospital Mater de Brisbane, na Austrália.


A generosa avó de Brisbane registrou mais de 15.000 horas na unidade de cuidados especiais do hospital ajudando os pais a fazer uma pausa nos cuidados com seus filhos. "Não parecem 25 anos", disse Grant.


Ela disse que permitir que os pais tenham uma pequena pausa de seu quarto ou possam ir para um compromisso foi extremamente importante. "É dar atenção ao bebê quando a mãe não está lá."


Marido e esposa voluntários


O marido de Ms Grant, Errol, também é voluntário no Mater e a transporta para seus muitos turnos a cada semana. "Ele é uma jóia e ele continua voltando, então ele deve amar [o voluntariado] tanto quanto eu", disse Grant.


A gerente sênior de voluntários da Mater, Judy Johnson, disse que voluntários como Grant trouxeram suas próprias experiências de vida e personalidades para cuidar de outras pessoas dentro do hospital.


"Somos muito gratos por seu tempo e empatia, assim como nossos pequenos pacientes".


Mais carinhos para dar


A Sra. Grant espera continuar se voluntariando nos próximos anos, se sua saúde permitir. Ela recentemente perguntou qual era a idade limite para voluntários no Mater.


“Acho que são 90 anos, então tenho um pouco de tempo e, se estiver saudável e móvel, continuarei o quanto puder”, disse Grant.


Source: ABC News