top of page
  • Mazal News

Coimbra hopes to open Jewish baths to the public this year


This year, if possible, Coimbra City Hall hopes to open the public Jewish purification baths to the public. A source at City Hall informed that it has already hired a company to carry out the space’s musealization project.


“Municipal services are working hard to ensure that the ‘Mikveh’ [Jewish baths] open during the course of 2024”, said an official source at Coimbra City Hall, in a written response to questions from Agência Lusa.


At the start of the month, the municipality hired the company Byar to provide design, conception and production services regarding the musealization project of Coimbra’s Jewish purification baths. This procedure includes prior consultation, has a cost in the region of 60 thousand euros, and will be executed in the space of just under five months.


The company in question has prior experience in musealization, in particular using audiovisual aids and technology; it has worked on projects such as the Islamic Baths of Loulé, the Côa Museum, the Archaeology Museum of Elvas and Lagos Slave Market.


According to an official source at Coimbra City Hall, the services to be acquired from Byar are “paid in part by the ProMuseus’23 programme and will enable key information and technology to be added to aid in the interpretation and accessibility of this important structure”.


Additionally, it will also be necessary “to provide cleaning, conservation and restoration services” for the Jewish baths to ensure they open to the public, and in this regard an in-house procedure is “in progress”.


The Jewish baths will be managed by the Museology Division of Coimbra City Hall, with the cooperation of the Tourist Department “to structure and disseminate the city’s new tourist product”.


Questioned by Lusa about other investments to highlight the Jewish presence in the city, the municipality emphasises the existence of “significant heritage”, in particular “the limits of the Jewish quarters and the Coimbra Inquisition building, the only one in the country”. “New investments in this heritage” are expected, but it is still “too early” for them to be disclosed.


The ‘Mikveh’, located in Rua Visconde da Luz, in the Baixa, was discovered and identified in November 2013 in the basement of a building later acquired by the municipality in 2021. It is a complex consisting of an ante-room, the pool room and the mine room inside a limestone cave.


The complex underwent archaeological works to diagnose the ‘Mikveh’ but also the rest of the building, which is located within the Old Jewish Quarter of Coimbra.


Credit: Notícias de Coimbra


 

Coimbra espera abrir ao público banhos judaicos ainda este ano


A Câmara de Coimbra espera abrir ao público os banhos de purificação judaicos ainda este ano,

tendo já contratado uma empresa para realizar o projeto de musealização daquele espaço,

afirmou hoje o município.


“Os serviços municipais estão a trabalhar afincadamente para que a abertura do ‘Mikveh’

[banhos judaicos] possa ocorrer ainda durante o ano de 2024”, disse fonte oficial da Câmara

de Coimbra, em resposta escrita a perguntas da agência Lusa.


No início do mês, o município contratou a empresa Byar para assegurar os serviços de ‘design’,

conceção e produção do projeto de musealização dos banhos de purificação judaicos de

Coimbra, num procedimento com recurso a consulta prévia e que terá um custo de cerca de 60

mil euros e um período de execução de quase cinco meses.


A empresa contratada tem experiência prévia em musealização, nomeadamente com recurso

ao audiovisual e tecnologia, tendo trabalhado em projetos como os Banhos Islâmicos de Loulé,

o Museu do Côa, Museu de Arqueologia de Elvas ou o Mercado de Escravos de Lagos.


Segundo fonte oficial da Câmara de Coimbra, a aquisição dos serviços à Byar, “comparticipada

pelo programa ProMuseus’23, vai permitir adicionar informação e tecnologia fundamentais

para a interpretação e para a acessibilidade desta importante estrutura”.


Para além desta contratação, ainda será necessário “assegurar a intervenção ao nível da

limpeza, de conservação e de restauro” dos banhos judaicos para garantir a sua abertura ao

público, estando esse procedimento interno “em curso”.


Os banhos judaicos serão geridos pela Divisão de Museologia da Câmara de Coimbra, contando

com a colaboração da Divisão de Turismo para “estruturação e difusão do novo produto

turístico da cidade”.


Questionada pela Lusa sobre outros investimentos para dar visibilidade à presença judaica na

cidade, o município salientou que há um “significativo património”, nomeadamente “as

circunscrições dos bairros judaicos e o edifício da Inquisição de Coimbra, único no país”,

estando previsto “novos investimentos neste conjunto patrimonial”, mas que a sua divulgação

é ainda “prematura”.


O ‘Mikveh’, situado na rua Visconde da Luz, na Baixa, foi encontrado e identificado em

novembro de 2013, numa cave de um edifício adquirido pela Câmara em 2021, sendo um

complexo composto por antessala, sala de tanque e sala de mina, inserido numa gruta calcária.


O complexo foi alvo de trabalhos arqueológicos para diagnóstico do ‘Mikveh mas também do

restante imóvel, que se localiza na área da Judiaria Velha de Coimbra.


Crédito: Notícias de Coimbra

Comments


bottom of page