top of page
  • Mazal News

102-year-old Shoah survivor is the cover star of ‘Vogue Germany’


A 102-year-old Holocaust survivor and Berlin native is the face of Vogue magazine in Germany.

Margot Friedländer, one of the oldest and most prominent Holocaust survivors in the world, graces the cover of the July-August edition of the fashion and beauty magazine which has hit the newsstands in Europe.


“Respect for life and the responsibility of being human are the core messages of #MargotFriedländer,” the magazine wrote on X promoting the story. “She, who as a Holocaust survivor would have every reason to hate, stands up for love.”


According to a biography on the website of Berlin’s Jewish Museum, Friedländer, née Bendheim, was born in the German capital in 1921, and apprenticed at a tailor shop after finishing school.

Her family tried unsuccessfully to emigrate to the United States before World War II broke out. While making plans to escape Germany, her brother was arrested by the Gestapo. Later, her mother and brother were deported to Auschwitz and murdered. “Try to make your life,” her mother wrote in a message she had left behind.


The 21-year-old went underground but was caught and deported to the Theresienstadt transit camp in German-occupied Sudetenland. She was the only member of her family to survive the camps.


After the war, she moved to New York in 1946 with her husband, Adolph Friedländer, whom she met at the camp, only to return to Berlin six and half decades later in 2010 after his death.


The centenarian has given hundreds of talks about her life during the Holocaust under Nazi Germany.


Two years ago, she was honored with a lifetime achievement award by the German president as she hit the century mark.


“We cannot change what happened, but it must never be allowed to happen again,” she said at the award ceremony in Berlin.


Source: JNS


 

Uma sobrevivente do Holocausto de 102 anos e natural de Berlim é o rosto da revista Vogue na Alemanha


Margot Friedländer, uma das sobreviventes do Holocausto mais antigas e proeminentes do mundo, é capa da edição de julho-agosto da revista de moda e beleza que chegou às bancas da Europa.


“O respeito pela vida e a responsabilidade de ser humano são as mensagens centrais de #MargotFriedländer”, escreveu a revista no X promovendo a história. “Ela, que como sobrevivente do Holocausto teria todos os motivos para odiar, defende o amor.”


De acordo com uma biografia publicada no site do Museu Judaico de Berlim, Friedländer, cujo apelido de nascimento é Bendheim, nasceu na capital alemã em 1921 e foi aprendiz numa alfaiataria depois de terminar a escola.


Sua família tentou, sem sucesso, emigrar para os Estados Unidos antes do início da Segunda Guerra Mundial. Enquanto fazia planos para escapar da Alemanha, seu irmão foi preso pela Gestapo. Mais tarde, a sua mãe e o seu irmão foram deportados para Auschwitz e assassinados. “Tente melhorar sua vida”, escreveu sua mãe em uma mensagem que deixou para trás.


A jovem de 21 anos passou à clandestinidade, mas foi capturada e deportada para o campo de trânsito de Theresienstadt, nos Sudetos ocupados pelos alemães. Ela foi o único membro de sua família a sobreviver aos campos.


Após a guerra, ela se mudou para Nova York em 1946 com o marido, Adolph Friedländer, que conheceu no campo, apenas para retornar a Berlim seis décadas e meia depois, em 2010, após ficar viúva.


A centenária deu centenas de palestras sobre sua vida durante o Holocausto sob a Alemanha nazista.


Há dois anos, ela foi homenageada com um prémio pelo conjunto da obra do presidente alemão ao atingir a marca do século.


“Não podemos mudar o que aconteceu, mas nunca devemos permitir que aconteça novamente”, disse ela na cerimónia de premiação em Berlim.


Fonte: JNS

Comments


bottom of page